Em 1957, como repórter da Rádio Continental do Rio de Janeiro, Saulo Gomes cobria um debate na Assembleia de Alagoas, quando se viu em meio a um tiroteio entre deputados.
Foto ilustração de Léo Villanova – Gazeta de Alagoas

Sexta-feira, 13 de setembro – 1957 – quando alguns deputados governistas chegaram na Assembléia Legislativa de Alagoas, com um vestuário que não era apropriado para o clima da cidade. Eles estavam ocultando, naqueles trajes, as metralhadoras que pretendiam usar contra os adversários da oposição. Entraram no plenário, já abrindo fogo. Os tiroteio deixou um saldo de um morto e oito feridos. O que provocou tudo isso? O pedido de impeachment do governador Sebastião Marinho Muniz Falcão.

Foto 1 – Deputado Lamenha Filho, com a metralhadora. Ao fundo Deputado Teotônio Vilela, lider da UDN. – Foto 2 – Deputado Teotônio Vilela e Antonio Gomes de Barros, empunhando uma arma.



Foto 1 – Quartel do 20º Batalhão do Exército – Maceió, onde ficaram protegidos, durante 5 dias, os deputados de oposição, juízes e o jornalista Saulo Gomes. Foto 2 – Deputado Oséas Cardoso, ainda com sangue na roupa e armas em punho, sendo entrevistado por Saulo Gomes.




O Jornal Gazeta de Alagoas apresenta a matéria escrita por Saulo Gomes, onde ele mostra a Ata da Assembléia, manchada com o sangue de um dos feridos e cápsulas de armas usadas no tiroteio.


A Ata da Assembléia registrava a presença de 35 deputados

Os deputados que faziam oposição a Muniz Falcão eram: Antônio Gomes de Barros, Carlos Gomes de Barros, Teotônio Vilela, Júlio França, Mário Guimarães, Geraldo Sampaio, Siloé Tavares, Oséas Cardoso, Otacílio Cavalcante, Virgílio Barbosa, José Onias, Lamenha Filho, Machado Lobo, Edson Lins, Herman Almeida, Arnaldo Paiva, João Toledo, Manoel Borges, José Affonso, Antenor Claudino, Antônio Malta e Antenor Serpa. Apoiando o governo, Muniz Falcão contava com: Jorge Assunção, João Bezerra, Antônio Moreira, Abrahão Moura, Claudenor de Albuquerque Lima, Luiz Gaia, Ramiro Pereira, Humberto Mendes (morto durante o tiroteio), Ulisses Botelho, Luiz Coutinho, Augusto Machado, Aderval Tenório e Luiz Rezende.







Deputados Estaduais da oposição após o tiroteio, sob a proteção 20º Batalhão de Caçadores – sob o comando do Cel. Carlos Luis Guedes – Maceió-1957. No destaque o repórter Saulo Gomes.




Recebi, do Deputado Oséas Cardoso, o livro “O Impeachment”. No autógrafo ele cita as páginas onde consta meu depoimento sobre o caso.