Em 1986, no Programa Jota Silvestre-TV Bandeirantes-SP, Saulo apresentou uma série de Erros Judiciários no Brasil. Vale conferir.

No meu curriculum jornalístico trabalhei e apresentei no “Programa Jota Silvestre”, na TV Bandeirantes – SP, em 1986, 10 casos de erro judiciário. Destacamos aqui o caso de “Parelheiros”.



A Chacina de Parelheiros aconteceu na cidade de São Paulo-SP, em 07/02/1960. O comerciante Miguel Brás do Prado, a mulher Maria Aparecida Eduardo e os quatro filhos do casal foram mortos a tiros, facadas e machadadas após assalto na casa da família. Os suspeitos eram Gabriel do Espírito Santo, Ernesto Seixas e Evaristo Godoi. No dia 13 de fevereiro do mesmo ano, saiu uma no jornal : Polícia ‘fabrica’ criminoso no caso da chacina de Parelheiros. Nela fica claro que existem dúvidas quanto ao verdadeiro autor do crime, dada a rapidez que a polícia da época conseguiu resolver o crime e pela forma que o criminoso contou sua versão do crime. Os suspeitos foram presos, em Presidente Wenceslau-SP, onde cumpriram pena durante alguns anos. Em 1986, entrei no caso e apresentei no “Programa Jota Silvestre a prova da inocência deles.








Revista “O Cruzeiro” – em 1978 reproduz as provas da inocência dos acusados de Parelheiros.



Saulo apresenta no “Programa Jota Silvestre” as provas da inocência dos acusados da Chacina